A Tempestade (W Shakespeare)


 

 

“Somos da mesma substância que os sonhos.”(ato IV,cena I)


Tema: Comédia (Traição, Vingança e Magia)

O Livro


 

Próspero, Duque de Milão, era um homem muito estudioso que muitas vezes preferia livros à administrar a cidade. Aproveitando-se de sua passividade, seu irmão Antonio conspira contra ele em aliança a Alonso, rei de Nápoles. A empreitada é exitosa e eles derrubam Próspero do poder e o deportam, com a ajuda do fiel Gonçalo consegue levar consigo seus maiores bens os Livros e a pequena filha, Miranda, de 3 anos.

Próspero chega a uma pequena ilha cheia de magias que é dominada pela Bruxa Sicorax, porém com bastante esperteza e ajuda de seus livros ele a derrota, liberta Ariel, um espírito do ar, ente mágico que voa e passa a criar o monstruoso Calibã, filho da bruxa. Calibã quando adulto tenta estuprar Miranda, sendo castigado com expulsão do convívio da casa e tornando-se escravo de Próspero.

Muito tempo depois Próspero dominando poderes mágicos adquiridos com suas leituras provoca uma tempestade que causa o naufrágio do barco do Rei de Nápoles, que voltava da África, vindo do casamento de sua filha. No barco estavam Antonio, o traidor irmão, Ferdinando filho do rei de Nápoles e velho amigo Gonçalo.

Com a ajuda de Ariel, Ferdinando chega a casa de Próspero e logo se apaixona por Miranda, que lhe corresponde ao amor. Próspero finge não querer o romance. Os outros náufragos passam a vagar pela ilha sem esperança, Próspero vai manipulando a situação preparando o encontro final.

 

Comentário sobre o Livro


Este texto foi um fichamento que fiz em 1992, tinha a boa mania de ler e resumir livros, como não existia blog eu escrevia à mão e repassava para alguns amigos incentivando-os a lerem. Do Shakespeare fichei quase todos seus escritos, bons tempos aquele. Este Livro diz muito sobre quem ama literatura, arte, fala diretamente sobre tudo que estou sentindo e passando.

Esta ilha de magia foi o último trabalho de Shakespeare é uma espécie de redenção, pois foi escrito depois de uma longa seqüência de terríveis tragédias, ele escreve uma fantasia lindíssima, onde Próspero é o próprio autor encarnado na estória, que se reconciliará com seus inimigos. Preste atenção as falas, a poética, talvez as mais doces e belas escritas pelo bardo.

http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/tempestade.html

A tempestade é uma obra muito revisitada tanto no cinema como na música, Peter Greenaway fez uma bela versão chamada “Prospero’s Books” muito interessante ambientação e modo de ver o livro.

 

Na música Legião Urbana fez um disco em homenagem a peça.

Recentemente o Angra lançou também um disco conceitual cujo tema é este livro.

Anúncios

16 respostas em “A Tempestade (W Shakespeare)

  1. A Tempestade há de trazer novos ares, boas novas pra vocês também.
    Tenho boas recordações da primeira leitura que fiz dessa obra, ainda cursando o clássico(me entreguei, não?). Tinha uma professora de inglês fantástica que nos fez conhecer a literatura de Shakespeare.

    Obrigada pela oportunidade de reviver esse momento.
    Abraço,
    Maria Elisa

  2. Maria Elisa,

    Tinha trazido Macbeth para fazer o resumo, mas tive notícias tão boas sobre minha filha que lembrei desta peça.
    Obrigado pelos comentários, leitura.

    Arnobio Rocha

      • A Tempestade há de trazer novos ares, boas novas pra vocês também.
        Tenho boas recordações da primeira leitura que fiz dessa obra, ainda cursando o clássico(me entreguei, não?). Tinha uma professora de inglês fantástica que nos fez conhecer a literatura de Shakespeare.

        Obrigada pela oportunidade de reviver esse momento.

  3. Eu li essa obra no quarto ano de Letras, com uma professora irlandesa que tinha um sotaque rascante e que recebia agente aos sábados, na casa dela, pra comer bolo e falar de literatura inglesa. Era muito engraçada, a Miss Stevens.. E ela sabia muita coisa de Shakespeare de cor, especialmente os sonetos. Falava, falava, saia do ar..
    Com ela eu li muita coisa do Shakespeare.
    Li e aprendi, certamente. Com sotaque, mas aprendi.
    Eu não sabia que o disco do Angra tinha âncora na peça. Meu sobrinho tem tudo deles. Vez em quando eu ouço.

    • Carlos,

      Descobri a leitura de Shakespeare como alternativa aos livros marxistas que não podia levar ao trabalho..rs..Foi uma ótima troca. Mantive por muitos anos o hábito de ler as obras do bardo de acordo com a estação do ano..tragédias no outono/inverno..dramas históricos e comedias primavera/verão. Depois li em algum lugar que o próprio Marx tinha esta mania também..hahhaa
      Mas sua descoberta com a Miss Stevens parece bem mais interessante,

      Abraços

      Arnobio Rocha

  4. Meu sobrinho querido,

    Virei seu fã… Mto legal saber que vc é tudo isso. Daí a ideia de quem faz o seu destino é vc mesmo.
    E esse texto é bem isso … nos mostra que somos capazes de fazer o que quisermos, basta começar e não parar, quando vc se depara, está diante de maravilhas que vc nunca seria capaz de imaginar que conseguiria. E o conhecimento é como a vida só apra quando morre.
    Lula sempre nos diz, que devemos acreditar em nosso sonhos.
    Tem uma coisa bacana q esse texto fala .. que em outros livros nos ensina tb, como no livro O Conde de Monte Cristo a importância da leitura, que acaba nos induzindo a ler mais para sermos como os personagens. Vou ler esse de W Shakespeare.

    Abraço grande … estou aqui sempre com vc.

    Herlon Lopes

  5. Tenho um amigo, o Fernando José, que sempre diz: “generoso aquele que decora poesias, por compartilhá-las com quem não teve a oportunidade de lê-las”. Quando vc contou que escrevia fichamentos para estimular a leitura de livros que vc gostou, lembrei-me desse amigo que falei. Quanta generosidade em querer dividir o belo! Obrigada.

    Um abraço,

    Gisele

    • Gisele,

      Quando escrevemos e outros nos lêem é uma sensação maravilhosa, mas quando nos deixam comentários nos sentimos mais fortes. Vou tentar publicar o roteiro de estudo sobre teoria do conhecimento que fizemos em 1992,era um pequeno grupo, que ainda abalado pela queda do muro tentava ver para onde íamos, então compartilhamos leituras e estudos. Aprendi muito e ensinei um pouco do sabia.

      Arnobio Rocha

  6. De fato, é muito generosa e bacana a atitude sua de falar sobre algumas obras no blog. Ultimamente, como ando com o tempo curto para folhear livros despreocupadamente como antes fazia, tenho seguido as orientações de amigos virtuais sobre livros, autores e filmes. Para mim, e para muitas pessoas, seguir um blog de alguém representa que confio em suas opiniões – até mesmo quando geram discordâncias. Fica mais uma referência pra mim. Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s